segunda-feira, 13 de junho de 2011

POEMA EDELWEIS...

2º prémio nos Jogos Florais de Tondela
10 de junho de 2011




Por vezes deixamos de “ver”, os prados da nossa infância.
O que foi a nossa “estrela de prata”, a nossa “estrela guia”!
Perdemos a capacidade de sentir, o perfume das flores do nosso
jardim!
Passamos muito tempo sem ver as estrelas no céu!
Então… Lembramo-nos de subir a montanha.
Lá, encontraremos a flor mais bela!
Perdida no meio das pedras, ela lá está, esperando alguém que a vá colher…
Tal como ela somos arrancadas aos nossos sonhos, e esperamos!
Resistindo ao frio e ao calor, pacientemente esperamos…
E guardamos nas gavetas da nossa memória
Tudo que apanhámos ao longo do caminho!
Todas as noites pensamos que poderia ser diferente
Amiúde nos perguntamos se poderíamos ter mudado o rumo!
Tentamos mudar as cores da nossa vida, tentamos projectar o nosso sonho!
Raramente conseguimos porque ficamos presos em nós próprios! E presos nas pedras do nosso próprio caminho!...
Dentro de nós há um comboio. Que barulhento, nos levará ao nosso destino, sem saber o que estará no final da linha!
Os dias correm como um rio, e nada os faz parar!
Um dia descobrimos que a saudade é o campo de concentração do coração
E damo-nos conta que tudo se foi desmoronando à nossa volta!
A casa, a montanha, os caminhos, o jardim, as varandas e janelas
De onde espreitávamos as estrelas, continuam lá!
É ela a nossa “estrela de prata” a nossa flor do amor que nos faz mover cada dia…
Por isso guardamos nas gavetas do coração, as nossas flores já secas
A nossa edelweiss!...




Sem comentários:

Enviar um comentário